Santa Casa de Santos realiza a primeira cirurgia cardíaca pediátrica da região

Procedimento para correção da persistência do canal arterial de bebê de 2 meses aconteceu nesta quinta, dia 10.

A história do tratamento de cardiopatias congênitas na região pode começar a mudar a partir de agora. A Santa Casa de Santos realizou a primeira cirurgia cardíaca pediátrica da Baixada Santista nesta quinta, dia 10, comprovando preparo para tornar-se referência também neste segmento.

O procedimento foi feito pelo experiente cirurgião cardíaco pediátrico Dr. Ayrton Bertini, que realizou a correção da persistência do canal arterial de um bebê de 2 meses. Dr. Ayrton Bertini atua em hospitais de São Paulo, e destaca a importância da região ter um local de referência para estas cirurgias. “Segundo os dados mais recentes do DATASUS, cerca de cinco a cada mil nascidos vivos têm cardiopatia congênita. Destes, apenas 20% têm acesso ao tratamento, ou seja, 80% têm dificuldades em receber o cuidado necessário, resultando em um grande número de óbitos. A cardiopatia congênita é a 3ª maior causa de óbitos em crianças”, enfatiza Dr. Ayrton Bertini.

As cirurgias cardíacas pediátricas são procedimentos de altíssima complexidade, que necessitam de retaguarda de UTI e, principalmente, equipe multiprofissional especializada em atender os bebês com cardiopatias congênitas – condições oferecidas pela Santa Casa de Santos. “Ter uma equipe qualificada para acompanhar todas as etapas da cirurgia cardíaca pediátrica é essencial e o maior diferencial para o sucesso do procedimento”, destaca Bertini.

Persistência do canal arterial - PCA
O canal arterial é o vaso sanguíneo que liga a aorta (maior artéria do corpo) à artéria pulmonar, responsável por levar o sangue do coração ao pulmão. Este canal é muito importante quando o bebê está na barriga da mãe, mas após o nascimento, se fecha sozinho, geralmente em 48 horas.
A chamada Persistência do Canal Arterial (PCA) é quando este vaso não se fecha.
Mais comum em bebês prematuros, a PCA pode ser tratada com medicamentos específicos em UTI Neonatal, porém quando não tem resultado, a cirurgia cardíaca para fechamento deste canal torna-se necessária.

Cardiopatias congênitas
As cardiopatias congênitas podem ser diagnosticadas durante a gestação, com exames como ultrassom e ecocardiograma fetal, por isso a importância do pré-natal e acompanhamento especializado. Entretanto, existem outros casos que se manifestam logo após o nascimento, ou mesmo depois de alguns anos. De qualquer forma, quanto antes for possível o diagnóstico, melhores são as condições e oportunidades de tratamento.

Cirurgias cardíacas pediátricas pelo SUS
Atualmente, a instituição não possui contratualização para realizar cirurgias cardíacas pediátricas pelo SUS - Sistema Único de Saúde, e os casos da região são transferidos para tratamento em São Paulo, de acordo com disponibilidade de vagas reguladas via CROSS e SISREG.

> Assista o vídeo com os registros da PRIMEIRA CIRURGIA CARDÍACA PEDIÁTRICA DA BAIXADA SANTISTA https://youtu.be/XtV4LJgUnIU

Publicado em 10/02/2022

Compartilhe!
Acesse Nossas Redes Sociais

Av. Dr. Claudio Luis da Costa, 50
(13) 32020600
provedoria@scsantos.com.br