Reunião técnica sobre doação de órgãos atualiza profissionais da Santa Casa de Santos

Hospital recebe profissionais da Organização de Procura de Órgãos (OPO) da UNIFESP e do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Para qualificar as equipes multiprofissionais que lidam diretamente com situações que envolvem doação de órgãos, como o protocolo de morte encefálica e comunicação de más notícias, a Santa Casa de Santos realizou no dia 29/09/21, das 9h às 11h, no Consistório da instituição, palestras com profissionais que são referência no assunto.

O evento foi direcionado aos profissionais de saúde da Santa Casa de Santos, que é referência em captação de órgãos na Baixada Santista, e se destaca em números de notificações para a Central de Transplantes do Estado de São Paulo.

O evento teve início com a Coordenadora da Organização de Procura de Órgãos da UNIFESP, e organizadora da campanha de doação de órgãos da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), Enfª. Vanessa Ayres Carneiro Gonçalves, que explicou sobre todas as etapas do processo de doação e transplante.

A Enfª. Vanessa Ayres lembrou mais uma vez sobre a importância da família saber da vontade do paciente, pois eles são os responsáveis por autorizar a doação de órgãos, e que muitas pessoas ainda pensam que este ato depende de um registro em RG. Ela esclareceu que esta rotina mudou, porque poucas pessoas realizavam o registro, mesmo tendo se declarado doadores de órgãos e tecidos.

Dentro de todas as fases que antecedem a captação de órgãos, Vanessa destacou o cuidado na etapa de preparação. O profissional precisa deixar claro para a família que será aberto o protocolo, mas que não está confirmada a morte encefálica.

Com relação às documentações, Vanessa Ayres enfatizou quanto à atenção da equipe médica no preenchimento do atestado de óbito ou guia de encaminhamento para o IML, e o horário do óbito, que deve ser o mesmo horário que foi realizado o último exame. Já sobre a comunicação do diagnóstico para os familiares, ela orientou que o profissional envolvido com a captação de órgãos não deve se envolver nesta etapa.

Dando continuidade ao evento, o Enfº. Edvaldo Leal de Moraes, diretor Técnico de Saúde da Organização de Procura de Órgãos do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, abordou sobre as relações interpessoais no mundo do trabalho, e as estratégias de comunicação eficaz. Edvaldo Leal estimulou para que os participantes refletissem sobre o ambiente hospitalar, que é extremamente violento, e sobre a necessidade de equilibrar “quem sou, com o ambiente que escolhi para trabalhar”.

Dentro do contexto da comunicação, Edvaldo Leal falou sobre a necessidade da prática de escuta ativa, e complementou destacando que “humanizar a relação com as famílias de potenciais doadores facilita a interação e possibilita a doação de órgãos e tecidos para transplante.”

Para finalizar, Edvaldo fez referência ao escritor Oscar Wilde, que definiu ética e caráter: “Chamamos de ética o conjunto de coisas que as pessoas fazem quando todos estão olhando. O conjunto de coisas que as pessoas fazem quando ninguém está olhando chamamos caráter.”

No total, 80 profissionais de saúde de diversas áreas de atuação participaram das palestras, e também esclareceram algumas dúvidas relacionadas ao tema.

A gerente de Enfermagem da Santa Casa de Santos, Enfª. Simone Tedesco, fez o encerramento do evento lembrando que o hospital se prepara para tornar-se um centro de transplantes, conforme anunciado pelo provedor Ariovaldo Feliciano no evento sobre Doação de Órgãos realizado em 24/9, e portanto é de extrema importância que a instituição tenha um quadro assistencial qualificado e sempre atualizado.

A diretora Assistencial, Priscilla Sartori, marcou presença no evento, que foi organizado pelas responsáveis do Centro Integrado de Humanização, Cláudia Jacob, e Setor de Captação de Órgãos, Enfª. Renata Joaquim.

Serviço de Captação de Órgãos da Santa Casa de Santos

Criado em 2017, a Santa Casa de Santos possui um serviço próprio de captação de órgãos, referência para toda a Baixada Santista, que se dedica exclusivamente aos processos para diagnóstico de pacientes com morte encefálica e doação de órgãos. Após a criação do setor, houve um aumento relevante nas efetivações das doações.

Em 2018 o hospital recebeu em congresso o prêmio “Amigos do Transplante”, pelo número de captações realizadas na Santa Casa de Santos. Todo o processo de captação é seguro e eficaz, tratado com muita seriedade e respeito pelos órgãos que regem. É baseado em lei e fiscalizado pelo órgão público. Legislação: 1997: LEI 9.434 / 2017: RES. CFM 2173.

Os procedimentos realizados na Santa Casa de Santos são feitos pelas equipes de transplantes de outras cidades. Após a constatação da morte encefálica, são realizadas cirurgias para a extração dos órgãos, que serão destinados para as pessoas que se encontram em fila de espera aguardando um transplante.

A Santa Casa de Santos já realiza transplante de córnea e em breve serão realizados transplantes de rim e fígado.

Números de Cirurgias de Captações de Órgãos, por ano:
Em 2017, foram realizadas 9 cirurgias;
Em 2018, foram realizadas 27 cirurgias;
Em 2019, foram realizadas 16 cirurgias;
Em 2020, foram realizadas 14 cirurgias;
Em 2021 até setembro, foram realizadas 14 cirurgias.

Setembro Verde e Árvore da Vida – Incentivo à Doação de Órgãos

O evento de doação de órgãos acontece oportunamente no mês de conscientização quanto à importância deste ato. Para ser um doador de órgãos, é importante que a família saiba deste desejo.

Pensando neste ato que envolve um momento tão delicado, em setembro de 2019, a Santa Casa de Santos inaugurou a Árvore da Vida – uma homenagem a todas as famílias que optaram por doar os órgãos de seus entes queridos. Nela, são pendurados pequenos corações que levam os nomes dos doadores, e numa discreta solenidade, o próprio familiar coloca o coração na árvore.

Este foi o meio que a instituição encontrou de atenuar a dor destas pessoas que, mesmo em um momento tão difícil, autorizaram a doação dos órgãos. O ato de amor fica simbolizado nos corações, que carregam os nomes de todos que desejaram ajudar as pessoas que lutam pela vida na fila de transplante.

Como ser um doador de órgãos e tecidos?

Se você é a favor da doação de órgãos, converse com seus familiares. Sua decisão pode salvar várias vidas.

Maiores informações, contate o serviço de Captação de Órgãos da Santa Casa de Santos, no telefone 3202.0600 ramal 1160.

Veja como foi o evento realizado em 24/09/21, que teve a cobertura do 'Programa Santa Casa e Você', da TV COM, em: https://youtu.be/pPYBYJFqDls e os melhores momentos em https://youtu.be/DA0glTabQ7U

 

 

Compartilhe!
Acesse Nossas Redes Sociais

Av. Dr. Claudio Luis da Costa, 50
(13) 32020600
provedoria@scsantos.com.br