Primeira ablação por radiofrequência guiada por tomografia é realizada na Santa Casa de Santos

Método minimamente invasivo trata tumores ósseos, hepáticos, renais e pulmonares.

No último sábado, dia 6 de novembro, a Santa Casa de Santos realizou a primeira ablação por radiofrequência guiada por tomografia computadorizada. O procedimento foi realizado pelo médico especialista Dr. Edgard Brasil Solorzano, e o método foi utilizado para tratar um tumor ósseo, denominado osteoma osteoide.

Para a realização do procedimento, uma das salas do Serviço de Tomografia foi equipada como um centro cirúrgico, com equipe e todos os recursos necessários por cerca de 2 horas.

O osteoma osteoide é um tumor ósseo primário benigno, cujo nicho é formado por tecido osteoide imaturo hipervascularizado cercado por osso esclerótico reativo.

Segundo o dr. Edgard Solorzano, classicamente, o tratamento do osteoma osteoide consiste na ressecção em bloco do nicho, porém, são descritas desvantagens como a dificuldade para a localização intra operatória da lesão, risco de fratura durante o procedimento, tempo de internação hospitalar para controle da dor e resultado estético desfavorável. Desta forma, abordagens minimamente invasivas, como o método percutâneo, auxiliado por tomografia computadorizada, anulam essa dificuldade.

A ablação por radiofrequência guiada por tomografia computadorizada é um método minimamente invasivo, não somente utilizado no tratamento de tumores ósseos, mas, também sendo comumente usado no tratamento de tumores hepáticos, renais e pulmonares.

No caso do tumor ósseo, radiograficamente é caracterizado pela existência de um nicho radiolucente, cujo diâmetro raramente ultrapassa 2,0 cm, frequentemente rodeado por osso esclerótico reativo.

O método percutâneo de ablação consiste na introdução de uma agulha até a lesão a ser tratada com o auxílio da tomografia computadorizada, permitindo a visualização do nicho durante todo o procedimento. Com a confirmação do posicionamento da agulha no local exato da lesão, utiliza-se um gerador de radiofrequência, sendo a ponta da agulha aquecida o suficiente para causar dano tecidual através do calor.

Esta técnica é segura e eficaz, e em relação ao método convencional de ressecção, minimiza o trauma e a morbidade do tratamento.


O procedimento

O paciente é posicionado no aparelho da tomografia computadorizada (TC) e submetido a anestesia geral. São feitas medidas de assepsia e antissepsia para o procedimento.

São adquiridas as imagens da TC, identificando-se a localização exata do nicho, sua relação com estruturas adjacentes e o melhor trajeto até seu centro. Após o planejamento pela TC, é inserida a agulha óssea (Arrow On Control) 10 Gauge até o nicho e assim feito o pertuito pelo qual passará a agulha da radiofrequência, própria para o osso.

Após a sua introdução e o seu posicionamento ser confirmado através da imagem, dá-se início à ablação. Cada ciclo dura cerca de 12 minutos e a intenção é que a temperatura na ponta da agulha atinja temperatura superior a 60oC, com consequente desnaturação proteica e dano tecidual intencional.

Compartilhe!
Acesse Nossas Redes Sociais

Av. Dr. Claudio Luis da Costa, 50
(13) 32020600
provedoria@scsantos.com.br