Se você tem o nariz congestionado e escorrendo, dores na face que duram há mais de 10 dias, é possível que você sofra de algo que não seja apenas um resfriado.

 

Sinusite é uma inflamação dos espaços cheios de ar que existem por detrás de sua testa, do seu nariz e de suas maxilas [cada um deles chamado de sinus ou seio]; frequentemente, começa como uma constipação, mas rapidamente pode-se tornar uma doença crônica, sem o doente perceber, porque os sintomas podem aparentemente melhorar.

 

A sinusite pode começar quando uma reação alérgica ou um resfriado viral comum colocam o sistema imunitário num elevado estado de alerta, fazendo com que o corpo produza muco extra: à medida que este muco acumula é criado o ambiente perfeito para as bactérias se reproduzirem. O corpo responde às colônias de bactérias, aumentando a inflamação: caso esse estado não seja tratado, essa situação se torna o prelúdio para uma sinusite.

 

Felizmente, ao contrário de muitas outras doenças crônicas, a sinusite é bastante tratável depois de diagnosticada.

 

Contudo, muitos pacientes (e clínicos não especialistas) frequentemente interpretam mal os sintomas de sinusite e procedem a tratamentos que possuem efeitos negativos desnecessários – é o que afirma o Dr. Allan Levin, um otorrinolaringologista especializado em patologias do nariz e dos sinuses [seios faciais].

 

“Muitas vezes, os próprios pacientes atrasam os seus diagnósticos porque presumem erroneamente que estão resfriados,” diz o Dr Levin, que tem tratado sinusite em Nova Iorque há mais de duas décadas.

 

Outro obstáculo ao correto tratamento, diz ele, é que os clínicos gerais não possuem endoscópios de fibra-ótica, a ferramenta que os especialistas utilizam para diagnosticar a sinusite, e, assim, os clínicos gerais podem ter dificuldade em distinguir entre a sinusite e outras patologias.

 

Como resultado, muitos casos ficam por tratar. A sinusite aflige 31 milhões de norte-americanos, que gastam 1 bilhão de dólares anualmente em medicamentos de venda livre para tratamento e 150 bilhões em medicamentos prescritos, de acordo com o American College of Allergy, Asthma and Immunology.

 

 Como reconhecer a sinusite

 

A sinusite tem três fases, e quanto mais progride, maior a hipótese de uma cirurgia ter que ser realizada para corrigi-la; por isso, diagnosticar cedo é importante.

 

 Sinusite aguda

 

A sinusite aguda é a primeira fase de desenvolvimento, depois de um resfriado ou uma reação alérgica. Se os sintomas de constipação [resfriado] não cessam depois de 10 dias e se existe dor na face e nariz entupido, com muco nasal espesso e excessivo, de cor amarela ou predominantemente verde, nesse caso, você deve consultar o seu médico, diz o Dr Levin.

 

 Sinusite sub-aguda

 

A fase sub-aguda dura de quatro a oito semanas, com sintomas que são idênticos, mas, frequentemente, menos severos do que nos casos agudos. Durante esta fase, o paciente pode pensar, “Bem, agora sinto-me um pouco melhor… embora ainda não completamente bem.” – diz o Dr. Levin. “Mas, o que eles não percebem é que a sinusite crônica persiste”. E sem se aperceberem, a fase da sinusite cronica se inicia.

 

 Sinusite crônica

 

Quando a sinusite se prolonga por mais de 12 semanas, considera-se que é crônica.

 Sintomas de sinusite crônica incluem gota pós-nasal, congestão, olfato reduzido, dor ou pressão na face, dor de cabeça, dor de ouvido, tosse, garganta dolorida, mau hálito, fadiga, dor de dentes, febre e náusea.

 

Nesta fase, a sinusite provavelmente requererá algum tipo de cirurgia. Contudo, com os avanços na tecnologia, o Dr Levin diz que tal cirurgia não necessita de hospitalização e, por isso, as pessoas podem regressar ao trabalho no dia seguinte ou pouco depois.

 

 Sinusite recorrente

 

É quando a pessoa sofre vários ataques de sinusite por ano.

 

 Tratamentos

 

A chave para a saúde dos sinuses (seios da face) é movimentar o muco para fora da cavidade nasal. Uma pessoa tem oito cavidades que se conectam ao nariz por via de pequenas aberturas chamadas óstios. Os sinuses produzem e estão cobertos por muco, que é movido por órgãos microscópicos, chamados cílios, que são como minúsculos cabelos. Os cílios vivem na superfície da membrana mucosa e movimentam-se para a frente e para trás cerca de 1000 vezes por minuto, para manter o muco em movimento, de modo a não estagnar-se e bloquear o óstio local.

 

Quando uma pessoa tem sinusite, os tecidos que cobrem os seios e o nariz incham e produzem muito mais muco do que o normal. Isto perturba os cílios e o óstio fica obstruído.

 

 Cirurgia com endoscópio

 

Nos casos mais severos de sinusite crônica é necessário recorrer à cirurgia sinusal endoscópica, feita através de instrumentos cirúrgicos que permitem limpar os seios da face. Esta cirurgia pode ser feita sem que seja necessário pernoitar no centros cirúrgicos, mas necessita de anestesia geral – diz o Dr levin, que estima ter realizado cerca de 2.000 dessas cirurgias (ou 4.000, se contarmos o fato de ser um procedimento bilateral, na maior parte dos casos).

 

Depois da cirurgia com o endóscopio existe algum sangramento, por isso, o nariz precisa ser tapado com gaze e o paciente precisa voltar um par de vezes por semana, durante algumas semanas, para o acompanhamento.

 

 Sinuplastia com balão

 

Sempre que possível, o Dr Levin afirma preferir realizar um procedimento novo chamado sinuplastia com balão, que “funciona tão bem quanto a cirurgia” para muitos pacientes e é menos invasivo. O procedimento utiliza apenas anestesia local (a menos que o paciente prefira mais sedação), não necessita de gaze e os pacientes podem retornar ao trabalho no dia seguinte.

 

Sinuplastia com balão envolve inserir um pequeno balão no óstio e quando o balão é enchido, empurra o fino osso que envolve o óstio (dilatando-o), remodelando-o para que permaneça aberto.

 

 Procedimento híbrido

 

Se a sinuplastia com balão não for o suficiente, o Dr Levin diz que pode realizar um procedimento híbrido, que usa o balão junto com técnicas cirúrgicas para abrir as vias nasais e remover tecidos problemáticos.

 

 Medicamentos

 

No melhor cenário, nenhum procedimento cirúrgico é necessário para tratar a sinusite. Se for detectada precocemente, os sintomas podem ser resolvidos com antibióticos, descongestionantes, analgésicos, anti-inflamatórios e medicamentos para liquidificar o muco.

 

O Dr. Levin aconselha cautela com o uso de medicamentos contra constipações, como anti-histaminicos. Ele diz que estes medicamentos são bons se realmente existe constipação ou alergia com corrimento nasal e lacrimejamento, mas o muco necessita ter a consistência certa para fluir adequadamente, mas os anti-histaminicos podem secá-lo.

 

Ele também alertou sobre os sprays não sujeitos a receitas, que são, em geral, bons para tratar condições dos sinuses, mas contêm conservantes anti-bacterianos (como o benzokonium chloride e o propylene glycol) que têm o efeito negativo de danificar os cílios nasais.

 

Há 30 anos trabalhando com patologias dos sinuses, o Dr Levin desenvolveu o seu próprio produto de lavagem nasal, feito com medicamentos antibióticos, anti-fúngicos e anti-inflamatórios, que não leva conservantes e pode ajudar as pessoas a evitar uma cirurgia ou tomar antibióticos orais que podem ser lesivos ao sistema gastrointestinal.

 

A medicação é usada para lavar o nariz duas vezes por dia e assim neutralizar as colônias de fungos e bactérias, assim como o muco, chamado biofilme, que as bactérias produzem para ajudar a resistir aos antibióticos.

 

Quando lhe perguntam porque decidiu escolher uma profissão que implica olhar para narizes o dia todo (algo que alguns de nós podem considerar desagradável), o Dr Levin disse que durante o seu período de residência descobriu que era natural para ele tratar problemas dos sinuses e que isso trazia à tona as suas melhores capacidades.

 

“Quando vou para o trabalho, coloco o meu avental e ligo a luz de observação, para mim é igual à sensação que o super-homem deveria ter quando entra em uma cabine telefónica como Clark Kent e tira os óculos e sai com uma capa. Para mim é ser a melhor coisa que eu posso ser…nunca me sinto trabalhando de verdade”, diz.

 

Cinco dicas para a saúde dos seios da face

 

1. Esteja ciente do seu ambiente. Verifique que a sua casa ou escritório estejam bem ventilados e livres de pó e bolor. Tome precaução extra se houver trabalhos de construção na vizinhança ou em casa.

 

2. Mantenha os umificadores e vaporizadores muito limpos. Um ambiente úmido cria condições para o crescimento de bolor, que depois é bombeado para o ar do quarto.

 

3. Deve-se prestar atenção em que viajar de avião é lesivo aos seios da face, devidos aos altos níveis de ozônio nas cabines dos aviões: o ozônino é tóxico para a superfície dos sinuses. O tempo frio também inibe o movimento dos cílios e, combinado com viagens de avião, aumenta o risco de problemas.

 

4. Evite descongestionantes de venda livre depois dos primeiros dias do fim do resfriado, porque eles são tóxicos aos cílios, afetando o seu ritmo e morfologia.

 

5. Use uma solução salina para lavagem, quando desenvolver os primeiros sintomas de constipação nasal. A lavagem irá ajudar a mobilizar o muco, a estimular os movimentos dos cílios e a expelir os poluentes e irritantes. A forma de usar potes de lavagem nasal pode não ser tão eficaz para limpar os seios da face, porque o liquido escoa para baixo, pela parte detrás da garganta, podendo não atingir os seios superiores.